Notícia

Mulher e Direitos Humanos

Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos do Estado de Alagoas
Quarta, 08 Maio 2019 14:57
ENFRENTAMENTO

Violência doméstica é tema de palestra em clínica de Maceió

Famílias de baixa renda receberam da Semudh informações importantes no enfrentamento à violência doméstica

Mães, mulheres e crianças de baixa renda participaram de palestra sobre violência doméstica em Maceió Mães, mulheres e crianças de baixa renda participaram de palestra sobre violência doméstica em Maceió Bruno Levy

Texto de Bruno Levy

A equipe da Superintendência de Políticas para a Mulher, da Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh), realizou, nesta quarta-feira (08), palestra sobre violência doméstica a mães, mulheres e crianças com deficiência na Clínica Guri, em Maceió.

A palestra, ministrada pela gerente de Políticas para a Mulher, Mel Falcão, e pela educadora social, Anne Kelly, contou com a presença de mais de 40 pessoas. "São famílias consideradas de baixa renda que precisam ter conhecimento sobre violência doméstica, principalmente para as mães de filhos com deficiência", disse Mel.

A educadora Anne Kelly explicou os variados tipos de violência doméstica (moral, física, psicológica, patrimonial e sexual), a importância de saber como funciona e ter informações de como pode ser denunciado e evitado a partir de denúncias pelo número 180 (Violência Doméstica), e pelo 190 da Polícia Militar, durante o flagrante, ou seja, no ato da agressão.

"São informações que eu não sabia e que agora tenho noção do que fazer nesses casos. Nunca tive problemas na minha família relacionados à violência, mas se vier a ocorrer, sei como proceder", disse Maria Antunes, aposentada de 59 anos que estava ao lado do filho com deficiência física.

Violência doméstica é tema de palestra em clínica de Maceió 3

Violência presente

Ainda durante a conversa, uma das participantes contou que já sentiu na pele o luto por feminicídio. Segundo ela, a filha foi morta dentro de casa pelo companheiro após diversas brigas. A senhora, que não quis se identificar, contou ainda que também perdeu o filho assassinado após uma discussão na rua.

As palestrantes a convidaram para comparecer ao Centro Especializado no Atendimento à Mulher em Situação de Violência (CEAM) onde receberá, por meio de equipe multidisciplinar, atendimento psicológico, jurídico e de assistência social.

Mães empoderadas

De acordo com a assistente social da clínica, Marise Alves, o destaque fica para a importância da Semudh na prevenção aos casos de violência doméstica a partir da conscientização.

"Temos casos de violência todos os dias sofridos por estas mulheres, mães e crianças que, por não possuírem independência financeira, ficam à mercê dos agressores. Por isso apelamos para este momento, próximo ao Dia das Mães, esta data tão importante, para chamar atenção delas", explicou.

No encontro também ocorreram dinâmicas com a participação dos ouvintes e uma roda de conversa ao final da palestra sobre a Lei Maria da Penha.