Notícia

Mulher e Direitos Humanos

Secretaria da Mulher e dos Direitos Humanos do Estado de Alagoas
Quarta, 27 Dezembro 2017 14:10
CIDADANIA

Semudh beneficia mais de 100 mil pessoas com ações em 2017

Capacitação como o Mulheres Empreendedoras e entrega de cadeiras de rodas foram destaques da secretaria no ano

Centenas de pessoas com deficiência foram beneficiadas com cadeiras de rodas da Semudh em 2017 Centenas de pessoas com deficiência foram beneficiadas com cadeiras de rodas da Semudh em 2017 Fotos: Sirley Veloso, Tallyta Marques e Luciana Beder
Texto de Sirley Veloso

As ações da Secretaria de Estado da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh) alcançaram mais de 100 mil alagoanos durante o ano de 2017. Tendo como foco a articulação de políticas públicas e a orientação à população para o exercício da cidadania, os atendimentos por meio das unidades móveis, campanhas educativas, seminários, capacitações, encontros, palestras e a entrega de cadeiras de rodas, por meio do Banco de Órteses e Próteses, foram algumas das atividades da pasta. 

Na estrutura da Semudh, a Superintendência da Mulher, em parceria com diversos órgãos, a exemplo do Tribunal de Justiça, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AL), desenvolveu capacitações e campanhas de combate à violência contra a mulher. Uma delas, a Campanha Agosto Lilás, por sua importância no combate à violência contra a Mulher, transformou-se em Lei e contou com a adesão de 72 municípios alagoanos.

A parceria com o município de União dos Palmares também possibilitou a implantação de um Centro de Referência de Atendimento à Mulher na região. Com uma equipe multidisciplinar composta por psicólogo, assistente social e advogado, no equipamento, a mulher em situação de violência na região da Zona da Mata recebe orientações e acolhimento.

Com o propósito de contribuir para a garantia de direitos de mulheres e também das populações negra e de Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transexuais (LGBT), grupos geralmente em situação de vulnerabilidade social, a secretaria ofertou capacitações para os profissionais da área de segurança.

Já o projeto Mulheres Empreendedoras, um dos responsáveis pela conquista do Prêmio Empreendedor Noé Simplício, teve como propósito ampliar as possibilidades de emprego e geração de renda entre mulheres, muitas vezes em situação de violência. Segundo a secretária da Mulher e dos Direitos Humanos, Claudia Simões, “a oportunidade de independência financeira é capaz de contribuir para a quebra de ciclos de violência causados pela dependência econômica” .  

O trabalho de atendimento realizado pelas unidades móveis da secretaria, em parceria com o Fórum de Mulheres Trabalhadoras Rurais, conseguiu alcançar as mais longíquas comunidades de diversos municípios de Alagoas. As unidades atuam levando atendimento jurídico e psicossocial às mulheres dessas regiões mais distantes e socialmente menos favorecidas.

O projeto Maria da Penha vai à Escola também mereceu destaque durante o ano de 2017, devido ao desempenho obtido. Por meio de palestras didáticas oferecidas aos estudantes da rede pública, o principal objetivo do projeto é formar multiplicadores no combate à violência contra a mulher.

Durante todo mês de agosto, quando é celebrada a Semana Estadual da Pessoa com Deficiência, a Superintendência da Pessoa com Deficiência intensificou as ações de educação, sensibilização e inclusão. Diversas atividades foram desenvolvidas com esse propósito, a exemplo de palestras, seminários, campeonatos esportivos e o baile da inclusão.

A inauguração da Central de Interpretação de Libras (CIL), no município de Delmiro Gouveia, por meio de uma parceria entre a Semudh, município e Governo Federal, irá contribuir para a promoção da comunicação entre surdos e ouvintes. Segundo o Censo do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas (IBGE), 24.275 pessoas, na região do Sertão alagoano, possuem algum tipo de deficiência auditiva. Já a CIL localizada em Maceió realizou quase três mil atendimentos às pessoas com deficiência auditiva em 2017.

As Conferências para a Promoção da Igualdade Racial, importante fórum para a construção de políticas públicas dirigidas ao segmento, entrega do Prêmio Tia Marcelina a pessoas e instituições com atuação na promoção da igualdade racial, realização do II Seminário Estadual Consciência Negra e Diversidade, do III Salão de Artes em Direitos Humanos foram algumas das atividades realizadas pela Superintendência de Direitos Humanos e Igualdade Racial, como forma de despertar para a temática trabalhada por essa superintendência.